28.9.16

Destralhar e organizar





Durante as minhas férias agora em Setembro comprei o último livro da Marie Kondo, que se chama "Alegria", coincidência ou não, nas férias de verão do ano passado tinha comprado o "Arrume a sua casa, arrume a sua vida" da mesma autora. Esta senhora tem o dom de me deixar com uma energia incrível, inspira-me de uma maneira que não consigo estar quieta. Como o ano passado comecei logo a ler o livro durante as férias e fiquei com uma vontade desenfreada de meter as mãos na massa ao ponto de fazer listas do que queria fazer quando regressasse a casa, este ano resolvi que só começaria a ler o livro quando as férias estivessem mais perto do fim.
Mais uma vez a senhora não me desiludiu e conseguiu ter o mesmo efeito em mim tal e qual como teve quando li o outro livro.
Normalmente depois de estar de férias costumo dar uma volta à minha casa. Desta vez não seria excepção, mas mal comecei a ler o livro, a vontade que já costuma ser habitual cresceu ainda mais. Ainda por cima estava mesmo em cima da mudança de estação, altura ideal para destralhar e organizar a casa.
Não sou de acumular e isso não é novidade por aqui, ainda assim acreditem que há sempre algo que está a mais. E há que praticar o desapego. Coisas são só coisas. Nós precisamos de excesso é de sentimentos, e de vivências.


Visto isto, arregacei as mangas e comecei logo por determinar o que queria fazer!

* Num caderno (sim eu ainda escrevo à mão e gosto tantooo) escrevi o nome das divisões todas aqui de casa (ex.: nosso quarto, atelier, wc..).
* Em frente ao nome de cada divisão escrevi o que queria destralhar (ex.:caixas de natal, roupeiro, gaveta das bijutarias, móvel dos tachos...).

Depois foi pôr mãos à obra.

* Tirei tudo para fora dos móveis, gavetas, prateleiras ou caixas.
* Analisei cada coisa em separado.
* Escolhi o que realmente já não usava, que tinha repetido, ou simplesmente já não tinha utilidade para mim e coloquei de parte num saco para doar.
* Separei coisas que pretendia alterar (ex: calçado para levar ao sapateiro, roupa para levar à costureira).
* Escolhi algumas peças de roupa para reciclar, tornando-as em objetos de utilidade.
* Arrumei em caixas as roupas e todas as coisas de verão.
* Dei o seu lugar às roupas e coisas da nova estação.
* No final limpei muito bem cada departamento de cada divisão.
* Organizei tudo de forma mais simples e prática.

Resultado final.

* Casa limpa e organizada
* Felicidade só de ver o trabalho que fiz.
* Grata por não ter desperdiçado uma única peça, tudo o que não tinha utilidade para mim foi doado, ou posto de parte para reciclar.
* Energia renovada em toda a casa.
* Mais espaço menos tralha.
* Mais amor pela minha casa.
* Certeza que para mim não lugar melhor no mundo que o meu lar!



With love,

Catarina.

21.9.16

Adeus Verão!

 

Obrigada por tanto que me deste!
Como tudo na vida tem o seu tempo, está na altura de nos despedirmos! O que também me deixa feliz, pois como apaixonada que sou por todas as estações do ano, já me sinto de braços abertos para receber o Outono. E confesso que já estou cheia de saudades dos dias mais frios, de vestir umas camisolas mais quentes, de ver o chão coberto de folhas nos mais maravilhosos tons de laranja, castanho e amarelos, das mantinhas no sofá, dos chás bem quentes, do cheiro das castanhas assadas nas ruas, e de todas as coisas boas que esta estação nos dá.
Venham então as mudanças, do horário, do clima, das roupas, das nossas rotinas e todas as outras a que nos proponhamos fazer.

With love,

Catarina.


25.8.16

Aceitar


Um dos verbos mais conhecidos, talvez pela dificuldade de pôr em prática... Conjugar este verbo no nosso dia a dia nem sempre é fácil. Isto porque ao longo da vida todos nós vamos passando por uma ou outra situação mais difícil. Situações essas que muitas vezes nos deixam de coração partido, que nos deixam até revoltados. De tal forma que começamos a questionar tudo e todos. E não adianta tentarmos arranjar motivos para justificar o porquê de sermos nós a passar por esta ou aquela contrariedade da vida. Acontece a todos, não havendo excepções, acreditem.
É nessas alturas que temos de conjugar o verbo aceitar.solução de muitos problemas começa mesmo por aqui.

Aceitar não é sinónimo de desistir.
* Aceitar é entregar, acreditar que tudo tem uma razão de ser, e nada acontece ao acaso.
* Aceitar é deixar fluir, tudo tem o seu tempo.
* Aceitar é acalmar o coração, é deixar a ansiedade de lado.
* Aceitar não é baixar os braços e sim fazer tréguas com a vida, vivendo o presente.
* Aceitar é viver a vida e aproveitar os nossos momentos, momentos que uma vez vividos não voltam mais.
* Aceitar é confiar na vida, acreditando que ela acaba sempre por se resolver.

Aceitar é um verbo como tantos outros e serve para se conjugar.
Por isso quando um problema  surge não adianta matarmos a cabeça para encontrar a razão pela qual ele surgiu. A vida é assim, os problemas irão sempre fazer sempre parte dela. Com todos eles vem uma lição. E o aprender nunca ocupou lugar.

* Vamos viver a nossa vida, tal e qual como ela é. Teremos sempre coisas boas e outras menos boas nela.
* Vamos tentar pensar mais nas coisas boas que nos rodeiam.
* Vamos nos livrar das tralhas que temos nas nossas casas e ocupam demais as nossas vidas.
* Vamos amar, acreditando que a vida nos traz sempre aquilo que procuramos.
* Vamos dar o que queremos receber.
* Vamos agradecer.
* Vamos sorrir.
* Vamos acreditar que depois de uma tempestade o sol vai brilhar!
* Vamos deixar de querer coisas e mais coisas , pois  é na ausências dessas "coisas" que encontramos os maiores valores!


With love,

Catarina.

22.8.16

A delícia das coisas pequenas!


Tomates cherry, exemplo perfeito de que como as pequenas coisas podem ser as mais saborosas. Sim porque ao tamanho destes tomates não podemos comparar o delicioso sabor que têm!!
Depois de um dia de trabalho chegar a  casa, calçar uns chinelos, brincar com as minhas cadelas, colher o que a horta me dá, contemplar e agradecer o que me rodeia. Também são formas de ser feliz! 



With love,

Catarina.

7.8.16

* Regressar *


Curioso ou não, faz hoje 2 meses que escrevi aqui no meu blogue. E o mais engraçado (ou não) foi que o título da publicação que fiz foi "Abrandar"...
Bem, coincidência ou não, foi o que fiz. Deixei-me levar pela minha vontade e fiz uma pausa aqui por estes lados. Claro que estar offline por aqui não significa de todo que não tenha estado bastante "on" nas minhas rotinas e na minha vida. Mas como tudo tem o seu tempo, senti vontade de regressar aqui ao meu cantinho. A este meu mundo aonde a partilha acontece só e apenas porque sim. 
Nestes 2 meses aconteceu tanta coisa, vivi muito, senti ainda mais, fui feliz, sorri muito, chorei (mas apenas de alegria) e agradeci. Afinal como já sabe quem me lê,  se há coisas que faço sempre, é procurar alegria e inspiração nas pequenas coisas da vida e agradecer, agradecer SEMPRE!
Agora aqui estou eu, de regresso, serena, grata e muito feliz! Deixo-vos com um pequeno resumo dos meus dias!

* Fui uns dias de férias com o senhor meu love, aproveitámos tantooo cada segundo.
* Uma grande amiga casou, fui madrinha e emocionei-me muito.
* Finalmente refizemos o jardim aqui de casa e ficou tão bonito.
* O senhor meu love tem feito imensas coisas em madeira aqui para casa, é mesmo habilidoso e eu uma sortuda por tudo o ter na minha vida.
* A nossa horta está repleta de coisas boas, temos tido maravilhosas colheitas e com elas deliciosas refeições. Posso mesmo dizer no que diz respeito a legumes só comemos o que plantamos!
* O nosso jardim está cheio de cor e de alegria com tantas flores bonitas.
* O verão chegou e com ele os dias e as noites quentes, temos aproveitado tanto!
* Já lá vão 8 meses sem comer carne, cada vez mais me identifico com este registo de vida.
* Continuo a tentar fazer menos lixo cá em casa, acredito realmente que se todos fizermos um bocadinho, junto podemos fazer muito pelo nosso planeta.
* Depois das férias fiz mais uma das minhas arrumações gigantes cá em casa, destralhei imenso. 
* Doei imensas coisas, senti-me tão bem ao fazê-lo.
* Consegui orientar as tarefas domésticas , de maneira a não ter que passar dias inteiros só de volta da casa!
* Saí com os amigos, dancei muito, como há muito não dançava.
* Vi o nascer do sol  algumas vezes, assim como também o vi a pôr-se. Qualquer um dos dois é tão bonito. 
* Parei muitas vezes para observar, para sentir, é tão bom viver!

Enfim fiz tanta coisa, e ainda consegui ter tempo para não fazer nada.
Ainda está alguém desse lado??

With love,

Catarina.



7.6.16

*Abrandar*



Porque depressa e bem não há quem! Já o diz o ditado!
Pensar que esta semana é curta, e ainda como bónus há fim de semana grande!
Fazer planos para ele e incluir na lista , tempo para não fazer nada!
Agradecer por estes morangos da minha horta e por estas flores do meu jardim. 
Lembrar que é nas pequenas coisas que encontramos os maiores valores!

With love,

Catarina.

31.5.16

Deixar o sol entrar


Que a sua luz se espalhe pela nossa casa, pela nossa alma e pela nossa vida.  É tempo de parar, contemplar e agradecer. Agradecer por tudo e mais alguma coisa. Em cada amanhecer nasce um novo dia e com ele tantas oportunidades de sermos felizes.
Porque não aproveitar??!!! Se é tão mais fácil quando nos sentimos mais inspirados e mais otimistas...

Comecemos então partilhando coisas boas:)

Este post de um blog que gosto muito, para refletirmos.
Esta receita com leguminosas da época, da minha querida Joana!
Aprender sempre mais sobre alimentação é possível aqui.
A natureza pelos olhos da inspiradora Márcia.
Esta música tão mas tão bonita!



With love,

Catarina.