sexta-feira, 28 de agosto de 2015

De volta às rotinas



Embora ainda seja Verão (eu sei que não parece), a verdade é que desde que voltei de férias que tenho tido uma vontade enorme de estar em casa quando tenho tempo livre. Eu já sou caseira por natureza, e com o verão a chegar ao fim a tendência é piorar. Arranjo sempre o que fazer, nem que seja estender-me no sofá a ler um livro.
Por falar em livros, grande parte desta minha vontade de passar mais tempo em casa quando posso, deve-se a um dos livros que li nas férias. Um livro que fala sobre o significado de viver numa casa arrumada (entretanto faço um post com as leituras de Julho e Agosto e vou falar nele). Eu já sou uma pessoa organizada e que não gosta de acumular tralha, mas a verdade é que este livro mexeu comigo de uma maneira incrível... Desde que vim de férias que a minha casa tem levado uma volta daquelas mesmo a sério, tem sido um destralhar que é uma coisa doida! Sim eu adoro umas boas horas a destralhar e depois a organizar tudo de novo. Ui até me arregalo no final de estar a apreciar o resultado. E o resultado é inexplicável, só posso dizer: façam-no nas vossas casas e vão ver do que falo!
Mas com o regresso a casa não foram só as organizações que voltaram, aos poucos as rotinas vão se instalando novamente. O que me agrada pois as rotinas não me aborrecem, nada mesmo!
E o meu tempo de manhã, aquele que é só meu e dos meus botões, é uma das rotinas que eu tanto gosto. Funciona como um carregar baterias para o novo dia que acabou de chegar. Para mim este tempo faz toda a diferença nos meus dias, se há coisa que detesto é adormecer e ter de fazer tudo à pressa para não chegar atrasada ao trabalho. Logo acordar e saber que tenho algumas horas para mim é perfeito. 
Acordar sem pressa, viver devagar, saborear, apreciar e desfrutar!  
Mantendo o foco no lema que eu escolhi para os meus dias: procurar inspiração e alegria nas mais pequenas coisas!


With love,

Catarina.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Dia de folga em pleno Verão. O que fazer?



 

*  Apanhar ar puro.
*  Estar em contacto com a natureza.
*  Jardinar.
*  Cuidar da horta.
*  Brincar com as cadelas.
*  Destralhar arrecadações e organizar tudo de novo. (sim eu gosto de fazer isso).
*  Dar um jeito à casa.
Fazer uma sopa com os legumes apanhados na horta.
*  Fazer uma bela de uma corrida, alguns exercícios e alongamentos no final da tarde (estou que não me mexo depois de dois dias seguidos a dar no duro, mas o que tem de ser tem muita força)

Se eu podia ter aproveitado a minha folga e ir para a praia? Podia, mas não era a mesma coisa. 
Isto de estar eu e os meus botões agrada-me tanto! Se for no conforto do meu lar, melhor ainda. Funciona como uma terapia, que me faz tão bem por sinal. E se há uma coisa que me dá muito prazer é viver num espaço limpo e organizado. Logo para que isso seja possível dias assim também são precisos.
Procurar inspiração e alegria nas pequenas coisas do meu dia a dia é o meu lema de vida. Problemas todos temos, seguir em frente, com força e determinação é sempre uma opção. E quase sempre a que eu escolho.

With love, 

Catarina. 

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Férias de Verão


 




 

 


 
De vez em quando é necessário parar, ficar offline neste mundo virtual e ficar online apenas na nossa vida. Foi o que eu fiz. Até porque os meus últimos dias antes das minhas desejadas férias foram mesmo muito atribulados e muito fora da minha rotina. O que não me agradou em nada, pois sou uma pessoa de rotinas. A pausa que fiz era mesmo necessária. Eu precisava.
Se da última vez que aqui vim eu estava stressada, cansada e a sair fora do meu eixo. Hoje venho calma, serena, muito grata, alinhada e com as minhas baterias completamente carregadas.
Não sou daquelas pessoas que anseia desesperadamente pelas férias e que vive em função disso. Não sou mesmo. Muito pelo contrário. Tento todos os dias ser feliz, procuro inspiração e alegria nas mais pequenas coisas, e tento ver sempre o lado bom, mesmo das coisas más. O que não é novidade para quem me lê. Ainda assim convenhamos que férias são férias, e estamos sempre desertos para que cheguem. Afinal elas servem para descansarmos, para aproveitarmos e para desligar a ficha.
Os 15 dias de férias que tive souberam-me e fizeram-me um bem enorme.. Não tinha grandes expectativas, pois não fiz grandes planos e o resultado foi mais que positivo. Rumei até ao Alentejo, mais precisamente até à minha querida e adorada Costa Vicentina. Foi lá que fui muito feliz nestes últimos dias. É sempre tão bom voltarmos aonde já fomos felizes.
E aqui estou eu de volta, com a cabeça cheia de maravilhosas lembranças, com o coração cheio de gratidão e com a certeza de que quando pudermos vamos voltar.
Agora tenho de aproveitar toda esta energia que sinto, e trabalhar para continuar alinhada e serena nos meus dias. O que não é fácil, eu sei! Mas acredito que com esforço e dedicação tudo se consegue.

With love,

Catarina.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Eu e as minhas coisas!




O tempo passa depressa, corremos de um lado para outro, pois queremos sempre fazer uma série de coisas. Esquecemos-nos tantas vezes do mais importante, respirar com calma! 
Contra mim mesma falo. Andava tão calma e serena. Sentia mesmo que estava a trilhar um caminho escolhido por mim. Quando de repente o stress apareceu, se instalou nos meus dias e me trocou as voltas. Nem tudo correu como eu planeava e muitas coisas surgiram de repente.
Cada vez mais me convenço de que não vale a pena fazer grandes planos para a nossa vida e sim aceitar os planos que a vida tem para nós! Devemos sim viver o presente, aproveitar e agradecer o melhor que ele nos dá.
Quando me surgem problemas não entro logo em pânico e nem sequer me começo a vitimizar  como se fosse a pessoa com menos sorte do mundo. Até porque, considero que sou uma pessoa abençoada e tenho muito mais coisas boas à minha volta do que coisas más. Mas os problemas surgem. Faz parte! Há que geri-los da melhor maneira possível e tentar sempre tirar uma lição de cada um deles. E visto assim até as coisas más têm o seu lado bom!
Há coisas que não dependem de nós, mas podem depender da nossa maneira de estar perante elas. No meio da confusão temos que fazer um esforço para fazermos uma pausa, tentar desligar a ficha, nem que seja por breves instantes. 
Embora não queira estar ansiosa a verdade é que anseio mesmo pelas minhas férias de verão. Mal posso esperar para poder parar e respirar sem pressas!  Entrar em modo "go with the flow"! Já faltou mais!
Que esta semana nos traga  sorrisos, paz e muito amor!

With love,

Catarina.


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Parar, observar, sentir e amar.


Me and my sweet princess!

Verbos usados diariamente, mesmo quando o tempo parece passar depressa demais, mesmo quando nem tudo corre bem, mesmo quando o corpo acusa cansaço, mesmo quando ansiamos por algo que ainda está por vir... 
Parar é obrigatório.
Observar o que me rodeia, agradecendo por cada pequena coisa.
Sentir as lições de forma a que estas se tornem motivo de gratidão!
Amar em qualquer circunstancia...


E porque nunca é demais lembrar aqui ficam estas lições que servem para todos nós

19 LIÇÕES DE DALAI LAMA

1. Note-se que o grande amor e grandes realizações envolvem grandes riscos.
2. Quando você perder, não perca a lição.
3. Siga os três R's: Respeito por si próprio, Respeito pelos outros e Responsabilidade por todas suas
acções.
4. Lembre-se que não conseguir o que você quer é algumas vezes um lance de sorte.
5. Aprenda as regras para que você saiba como infringi-las correctamente.
6. Não deixe uma pequena disputa ferir uma grande amizade.
7. Quando você achar que cometeu um erro, tome providências imediatas para corrigi-lo.
8. Passe algum tempo cada dia para estar sozinho.
9. Abra seus braços para mudanças, mas não esqueça seus valores.
10. Lembre-se que às vezes o silêncio é a melhor resposta.
11. Viver uma vida boa e honrada, então, quando você ficar mais velho e olhar para trás você poderá  desfrutar de uma segunda vez.
12. Uma atmosfera de amor em sua casa é o fundamento para sua vida.
13. Em discordâncias com entes queridos dar atendimento apenas sobre a situação actual, não trazer o  passado.
14. Compartilhe o seu conhecimento, é uma forma de alcançar a imortalidade.
15. Seja gentil com a Terra.
16. Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes.
17. Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele em que o amor um pelo outro excede sua
necessidade para o outro.
18. Julgue seu sucesso pelo que vocês sacrificaram para conseguir.
19. Venha para o amor e para a cozinha com entrega em especial. "


With love,

Catarina.


sexta-feira, 3 de julho de 2015

Leituras de Junho



Sinopse:

Os homens têm memória, alimentam-se de histórias, e as que mais nos marcam são aquelas que determinam a vida dos nossos antepassados. Esta é a história de uma família, os Palma Lobo. Bisavô, avô, pai e filho. Roberto, Álvaro, Jorge e Salvador. Nomes diferentes, mas o mesmo sangue e muito em comum: mulherengos, excêntricos, excessivos, todos marcados pela loucura e pela tortura da paixão. Foram todos homens invulgares sempre dominados por paixões privadas, amores e loucuras, e era nesse círculo íntimo do coração e do sexo que a sua vida se destinava a viver e a terminar. Passando por Moçambique, Angola, Lisboa, Alentejo e Brasil, a sua vida é uma epopeia à espera de ser revelada. Já Ninguém Morre de Amor é a odisseia dos Palma Lobo. Um enterro fictício, um homem enforcado com cães e gatos na mesma árvore, um homem que morre a fornicar e um fogo posto para fazer arder o local do pecado… esta não é uma história de amor, é uma história sobre amor.


A minha opinião:

Nunca tinha lido nenhum livro  do Domingos Amaral, e confesso que gostei bastante da história da família dos Palma Lobo,  dos seus segredos, dos seus antepassados e das histórias que estavam que estavam por trás das histórias oficiais. 
Gostei da escrita simples mas sempre muito cativante. Li este livro de repente, a leitura prendeu-me, como eu tanto gosto. Como diz e bem na sinopse esta não é uma história de amor e sim uma história sobre o amor.




Sinopse:

Ciência Versus Espiritualidade. Dois autores de renome cruzaram-se num debate realizado no Caltech e transmitido pela televisão acerca do futuro de Deus. Um deles é um defensor da espiritualidade, o outro um físico preeminente. Este livro notável é o produto de um encontro feliz e o confronto feroz, embora respeitoso, entre visões do mundo, que se deu paralelamente com o crescimento da amizade entre
 os dois autores. Em Guerra Entre Dois Mundos, os dois grandes pensadores discutem o cosmos, a evolução e a vida, o cérebro humano e Deus, tocando todas as questões fundamentais definidoras da experiência humana. 

A minha opinião: 

Ora aqui está um livro que me deu cabo da cabeça, no bom sentido, claro! O título agradou-me bastante, e mal o li pensei logo que tinha de o ler. Quando o comecei a ler é que tive noção da embrulhada aonde me estava a meter. Muito sinceramente achei este livro de leitura difícil. Dei por mim muitas vezes a ter de voltar ao inicio da página para ler de novo, pois não tinha compreendido o que tinha lido. Mas como sou uma menina de desafios, não desisti e li até ao fim. Aprendi muito com este livro e com o passar do tempo muitas coisas que na altura não me fizeram sentido vão certamente fazer.
E de uma coisa estou certa, identifico-me muito mais com Deepak Chopra, pois dou muito mais valor ao mundo espiritual, mas admito que devemos muito á ciência, logo o senhor Leonard Mlodinow tem razão em muito do que diz!




Sinopse:

Do autor do best seller "Quem Mexeu no Meu Queijo?", Spencer Johnson. Uma narrativa de superação e aprendizado.
Picos e Vales  relata a história de um jovem  que vive infeliz até encontrar um senhor que mora em uma montanha. Após conversas e experiências, o jovem aprende a reflectir  sobre os caminhos que escolheu e percebe que, entre dois picos, há sempre um vale: um momento de avaliação das decisões tomadas e de concentração nos objectivos a serem alcançados. Contada com o brilhantismo do autor que já vendeu mais de um milhão de cópias em todo o mundo, Picos e vales é uma história única de sabedoria e êxito, que  nos convida a fazer uma jornada pelos próprios altos e baixos e a usar as lições para vencer. 


A minha opinião:  

Um livro de leitura muito fácil que se lê num abrir e fechar de olhos. Que nos fala de coisas que muitos de nós já sabemos, mas que muitas vezes nos esquecemos e que é sempre bom lembrar. 
A vida é assim mesmo, com altos e baixos. Muitas vezes o difícil não é as coisas pelas quais passamos e sim  a maneira como nós reagimos perante essas situações.  Ler este livro fez me pensar muito, fez-me dar ainda mais valor àquelas situações menos boas pelas quais passei, graças a elas tive a oportunidade de aprender e de evoluir como pessoa.  E isso é muito positivo logo só tenho que me sentir grata.

sábado, 27 de junho de 2015

Cozinha feliz




Tornar o espaço aonde vivemos o local aonde queremos viver! 
Nos dias de hoje cada vez mais valorizo e agradeço pelo que tenho. Deixar de me queixar, foi uma opção!
Destralhar, organizar, arrumar é comigo! Costumo fazê-lo várias vezes aqui em casa. Acaba por ser uma terapia, pois ao mesmo tempo que o faço na casa, faço-o também na cabeça! Diz que, quando o fazemos eliminamos as velhas energias e recebemos novas! A mim traz-me sempre mais serenidade e mais alegria!
Lá está uma das dicas preciosas da minha lista para viver melhor: procurar alegria nas pequenas coisas!
A divisão escolhida  desta vez foi a minha cozinha! Levou uma volta daquelas! Móveis, gavetas, caixas e caixinhas, nada escapou. O objectivo era deixá-la mais funcional e claro aos meus olhos, mais bonita! 
As cores claras são sempre a melhor opção na minha opinião, se possível com o fundo branco e com alguns apontamentos de cor. Se nesses apontamentos podermos incluir flores, perfeito! A natureza dentro do meu lar, sempre!

With love,

Catarina.