domingo, 24 de maio de 2015

Ser e estar mais optimista



A minha vida não é um conto de fadas, e como todas as pessoas tenho os meus problemas. E vivo com eles da melhor maneira possível, claro que há alturas em que me sinto mais triste, com pouca força para lutar e seguir em frente.
Mas não sou pessoa de baixar os braços e desistir. Sou ansiosa? sou sim. Nervosa? Sim também. E pessimista? Não senhor, felizmente! 
Optimismo e determinação =  palavras chaves na ordem dos meus dias!
Se há dor, significa que vai haver lição. E isso é positivo.
Ser optimista também dá trabalho, mas o lucro quando é alcançado é mais que compensador. Por isso há que meter as mãos à obra. 
E por onde começamos?

* Parar!! Sim porque depressa e bem não há quem. Parar é fundamental. Querer fazer sempre tudo a correr como se não houvesse amanhã, não nos leva a lado nenhum. Acreditem.
* Escutar o que nos diz o nosso corpo, e obedecer-lhe!
* Pensar em todas as coisas boas que temos e agradecer por elas , nem que seja no como é bom ter uma cama para poder dormir e descansar.
* Agradecer, agradecer e voltar a agradecer.
* Rodear-nos de coisas que nos inspiram, flores, louças, animais, seja lá o que for, o importante é que nos inspire.
* Dedicar algum do nosso tempo a fazer algo que nos dê prazer, seja a praticar Yoga, caminhar, ir para a cozinha fazer bolachas, ir ver o mar, qualquer coisa, desde que nos faça sentir bem.
* Fazer algo por alguém que precise. 
* Não guardar rancor, nem pensar naquilo que nos faz mal. 
* Perdoar.
* Sorrir.
* Abraçar alguém. O abraço tem um poder incrível sobre nós!
* Respirar fundo e pensar que tudo tem solução.
* Aceitar e deixar fluir.

Pensem nisto, inspirem-se e tenham uma excelente semana.

With love,

Catarina.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Seguir em frente.


 

A vida é uma caixa de surpresas. Nunca sabemos o que nos reserva. E quando pensamos que o caminho que percorremos nos vai levar aonde desejamos chegar, podemos estar errados.
Faz parte, e todos sabemos que a vida não é um mar de rosas. E se num dia estamos felizes nada nos garante que no dia seguinte não estaremos infelizes.
Esta semana a vida pregou-me uma partida. Assustei-me, fiquei sem chão, senti as minhas forças a desvanecerem...
Logo comecei a pensar aonde estava toda a teoria que tenho sobre positivismo. Essa teoria em que tenho trabalhado tanto nos últimos tempos. 
Surgiram-me duas opções no meio do turbilhão de pensamentos e emoções que pairava sobre mim. 
Entregar-me à minha tristeza ou aceitar a minha realidade e seguir em frente.
Optei pela segunda. Aceitei a minha dor e sentia. Analisei os factos e tirei daí mais uma lição. Estamos sempre a aprender e isso sim nos faz evoluir como pessoa.
Afinal o processo de mudança a que me tenho submetido falou mais alto. A teoria fez-se prática.
No Yoga uma das condutas que estabelecem uma relação harmoniosa connosco próprios é a IISHVARA PRANIDHANA. Significa  ter firme fé em Iishvara (Controlador Cósmico), seja no prazer seja na dor, na prosperidade e na adversidade, e se ver, em quaisquer actividades da vida, como um instrumento e não como controlador do instrumento.
E isto sim é o que eu quero, estar em paz comigo mesma, aceitando as coisas como elas são. Respirar fundo, e seguir em frente.

With love,

Catarina.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Parar, respirar, contemplar e agradecer.





Do fim de semana ficou a gratidão de todas coisas que fiz. 
Para a nova semana não peço muito, cada vez mais vivo sem grandes expectativas.  Foco-me mais em viver o presente. Nada melhor que tentar tirar  partido do que acontece no agora, seja bom ou mau! Há sempre algo para aprender, e se pensarmos no que poderíamos ter feito ou no que poderíamos vir a fazer, a lição fica por aprender e mais tarde voltamos a bater na mesma tecla.
 A ansiedade impede-nos de muitas coisas, uma dela é sem dúvida apreciar o presente. E nós não queremos isto, queremos sim viver o agora. Se querem seguir por este caminho nada melhor do que praticar meditação. Por isso se quiserem, espreitem este  artigo  que vos pode ajudar.
Uma boa semana para todos.

With love,

Catarina.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Leituras de Março e Abril




Sinopse:

"Alma do mundo é um best-seller nos Estados Unidos e em todos os países da Europa em que foi lançado. Susanna Tamaro é fenómeno de vendas sem nenhuma fórmula de sucesso. O título já diz tudo: Anima Mundi, na filosofia de Platão, significa a divindade que unifica o que é diferente e o que é similar para criar a alma do mundo. É um livro sobre compaixão, erros, amor e amizade, partilhado entre dois jovens em busca, por trilhas diferentes, de seus caminhos, seus ideais. "

A minha opinião:

O que me levou a pegar neste livro foi o facto de há muitos anos atrás ter lido um livro desta autora que adorei e que até hoje me recordo decore das ultimas palavras desse livro ( Vai aonde te leva o coração).
Este é um livro que fala claramente de solidão, é  a história de uma homem que nasce e vive sempre em solidão, mesmo quando está rodeado de pessoas.  Achei este livro muito deprimente e triste , do principio até ao fim. Confesso que o li até ao fim, apenas por ter a esperança de que terminasse de uma forma feliz. Não foi o que aconteceu. 




Sinopse

"O narrador, um jovem professor primário, está apaixonado por Sumire, uma rebelde que conheceu na universidade. Um dia, num casamento, Sumire conhece Miu, uma mulher fascinante e misteriosa, de meia-idade, por quem se apaixona loucamente, acabando por se transformar na sua secretária. Partem para a Europa, numa busca que as empurra para uma estranha e mútua descoberta, e também para um desenlace assombrado. Ensaio sobre o desejo humano e a especulação sobre o destino, o livro de Haruki Murakami é um exuberante exemplo da arte de um dos mais importantes escritores do Japão contemporâneo."

A minha opinião: 

Há imenso tempo que andava com vontade de ler um livro autor, por curiosidade apenas. Pois nos últimos tempos este nome surgia-me muito. E sempre de uma forma positiva. E nada melhor que ler um livro dele para ter a minha própria opinião. Isto foi o que eu pensei, mas na realidade não foi o que aconteceu. Embora tenha gostado da escrita, que de certa forma me prendeu (pois li o livro até ao fim), não me chegou para ter uma opinião acerca deste autor. Vou ter de ler  mais alguns livros dele, parece-me. Como já disse a história cativou-me, mas não morri de amores por ela, e não gostei particularmente do fim, esperava outro final, com toda a certeza.

Sinopse
“Mariana e Zé Pedro passaram quinze longos anos sem se tornarem a ver. O tempo que poderia ter sido suficiente para fazer desmaiar a sua paixão vivida em Amesterdão. Os mesmos quinze anos que fizeram Mariana imaginar, milhares de vezes, o reencontro; e Zé Pedro desesperar de alguma vez voltar a encontrá-la. Quando, subitamente, numa azafamada manhã, numa estação de metro, se voltaram a encontrar. Quando tudo parecia ter sido diluído no tempo, eis que o passado volta a ser vivido no presente. Um romance apaixonante!”
A minha opinião:

Este livro é sem qualquer dúvida um livro com uma escrita cativante que nos prende.
Que nos faz pensar até onde  podemos ir quando nos encontramos com a cabeça perdida. É uma história que nos faz tomar consciência de que devemos ponderar muito bem antes de tomarmos uma decisão. Tenho a certeza que é um livro que deixa qualquer um a pensar a pensar na vida, nas decisões que já tomámos e nas que estão ou ficaram por tomar.

With love,

Catarina.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Parar, respirar, amar e agradecer.









Verbos que tento conjugar todos os dias.
E porquê?
Porque me fazem bem...
Porque me ajudam a ser feliz nas mais pequenas coisas.... 
Porque me fazem ver o lado bom mesmo quando também existe um lado mau....
Porque fazem sentido...

Este fim de semana que passou o tempo contrariou a ordem dos planos que eu tinha em mente. Ainda bem. Se não fosse assim não teria passado tanto tempo em casa. E fez-me tão bem. Dediquei-me apenas a coisas que me dão prazer, não fiz nada que não me apetecesse, não cobrei nada de mim nem do meu corpo, apenas o ouvi e cedi aos seus desejos. Carreguei assim as baterias para uma nova semana e para o novo mês que acabou de chegar. 
E é  tão bom quando nos sentimos bem, quando sentimos que caminhamos no caminho que nós mesmo escolhemos seguir.
Aproveitar o presente, sem pensar no passado e sem ansiar pelo futuro. Ser e estar no presente!

With love, 

Catarina.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Inspiração para um fim de semana grande!




Este artigo lindo: Amor está nas pequenas coisas :)!!

Bom fim de semana para todos!
Aproveitem bem estes 3 dias, que eu vou fazer o mesmo!!

With love,

Catarina.


segunda-feira, 27 de abril de 2015

Panquecas sem glúten

Este fim de semana adaptei uma receita que tirei da Internet,  gostei tanto do resultado, que resolvi que a tinha de partilhar aqui. Como já vos disse aqui sou intolerante ao glúten, por isso adaptar receitas com os ingredientes que eu posso comer tem sido um desafio. Nem tudo corre bem, há receitas que só mesmo seguindo à regra é que correm bem, mas outras alterando os ingredientes o resultado até supera as minhas expectativas. E esta foi uma delas. Cá em casa está mais que aprovada e vai-se repetir com toda a certeza.




Ingredientes:

* 1 chávena e 3/4 de outra de farinha de arroz
* 1 chávena de leite de arroz
* 2 ovos
* 1 colher de chá de baunilha em pó
* 1 colher de chá de fermento em pó sem glúten
* 1/4 colher de chá de sal


Misturam -se todos os ingredientes e batem-se bem.  Depois é colocar numa frigideira anti-aderente uma concha de cada vez, e voilá!!
Aqui em casa recheámos com mel, morangos, e polvilhámos com canela, outras apenas com calda de frutos vermelhos. Mas existem milhares de outras alternativas, basta darem asas à vossa imaginação, e preferência aos vossos gostos!

E que esta nova semana seja uma delícia como estas panquecas.

With love,

Catarina.