terça-feira, 24 de março de 2015

In love with my new baby!



Que gosto de flores não é novidade nenhuma, mas que sou doida de amores por orquídeas não sei se já o tinha dito aqui. Tenho várias de exterior, e nunca tive qualquer problema com elas. Já com as de interior a conversa é outra. Elas são frágeis e não gostam de um sítio qualquer, gostam de muita luz, mas não directa e gostam muito pouco de água. Esta princesa é nova aqui em casa e vamos ver como se porta. Eu vou tratar dela com muito amor e cada vez que olhar para ela vou lembrar-me da amiga especial que me a ofereceu. Vamos ver se ela se adapta ao seu novo lar.

With love,

Catarina.

domingo, 22 de março de 2015

Dia do pai, dia da filha!

No passado dia 19 de Março para além de comemorar o dia do pai, comemorei também o meu aniversário. 
E claro em dia de festa, para além de família reunida, sorrisos e muita alegria tem de haver bolo. Como há uma série de coisas que não posso comer, comprar um bolo estava completamente fora de questão. Meter as mãos na massa pareceu-me a melhor solução. 
Até porque fazer um bolo para partilhar com algumas das pessoas que mais amo e mais amor me dão, é um enorme prazer.




A receita que utilizei para o bolo foi esta (usei farinha sem glúten), mas com um recheio e uma cobertura diferente. Recheei-o com natas de soja batidas com umas gotinhas de limão e açúcar, e com morangos e framboesas. Polvilhei-o com stévia, e coloquei uns morangos e framboesas por cima. Na minha opinião que é suspeita, estava delicioso!


With love,

Catarina!

sexta-feira, 20 de março de 2015

Bem vinda sejas Primavera!


 Que as tuas cores encham os nossos dias de inspiração, paz, amor e gratidão!



Pensem no que dizem  estas palavras e  trabalhem :)

segunda-feira, 16 de março de 2015

O que ficou do fim de semana?

* Memórias de momentos vividos em família.
* Memórias de muitas risadas.
* Sensação fantástica por ter feito a minha prática de Yoga num sítio maravilhoso.
* Lembrança de como é bom não saber as horas.
* A alegria de ter tido muito sol e algum calor.
* A prova de que a televisão não me faz falta nenhuma.
* Alegria por ter lido muito.
* Certeza de que é nos sítios mais calmos aonde me sinto melhor.
* Gratidão, muitaaa!
* Coração cheio!
* Boa disposição para encarar esta nova semana.

Cada vez mais aprecio sítios calmos, a calma em si. Estar perto de quem amo. Rodeada pela natureza. respirar ar puro, preparar refeições e usufruir delas em paz  e sem pressas. Descansar, relaxar... 
Começo a pensar em mudar o nome a tudo isto, em vez de Pequenos Grandes Prazeres acho que lhes assenta melhor Grandes Prazeres.
Tenham uma boa semana.

With love, 

Catarina.







Quero ignorado, e calmo
Por ignorado, e próprio
Por calmo, encher meus dias
De não querer mais deles.

Aos que a riqueza toca
O ouro irrita a pele.
Aos que a fama bafeja
Embacia-se a vida.

Aos que a felicidade
É sol, virá a noite.
Mas ao que nada espera
Tudo que vem é grato.


quarta-feira, 11 de março de 2015

Pão sem glúten

Mais uma experiência na minha cozinha!
Para quem como eu quer ter uma alimentação mais cuidada e equilibrada, fazer o próprio pão não está fora de questão. Daí eu ter resolvido meter as "mãos na massa" no fim de semana que passou. Gostei do resultado, mas não vou ficar por aqui, quero experimentar outras receitas. E penso que com a experiência a amassar, a textura e consistência também vai melhorar.




A pedido de uma leitora muito especial aqui está a receita. Receita essa que foi inspirada em várias que encontrei aqui pela Internet. Não é novidade que gosto de alterar as receitas e dar-lhe o meu toque, mesmo sabendo que pode não correr bem. Mas quem não arrisca não petisca.

Ingredientes:

2 chávenas de farinha de trigo sarraceno
1 chávena de farinha de arroz
10 gr de fermento em pó sem glúten
1 colher de chá de açúcar mascavado
2 colheres de sopa de linhaça moída
3 colheres de sopa de sementes de sésamo
1 colher de sopa de sementes de girassol
2 chávenas de água  gaseificada

Misturam-se todos os alimentos sólidos e mexe-se bem, depois aos poucos vai-se misturando a água.
Amassar muito bem, e este é o segredo, para o pão sair fofo temos de amassar muito (no dia seguinte até me doeu os braços). É importante ir peneirando alguma farinha para a massa, enquanto a estamos a amassar para ajudar a que ela se solte da bacia aonde está. Depois deixa-se a massa a levedar cerca de 45 minutos. E por fim polvilha-se com algumas sementes e vai ao forno a 200º durante 45 minutos.


Na minha opinião devia ter levado mais um pouco de água. Nas próximas receitas vou pôr mais, e  utilizar àgua sem ser gaseificada.

With love,

Catarina.

domingo, 8 de março de 2015

Obrigado sol pela energia maravilhosa que trouxeste ao meu dia!

Depois de passar o sábado a trabalhar tudo aquilo que pedi, foi que o domingo amanhecesse solarengo. Com a promessa de que se assim fosse eu iria aproveitar cada raio de sol. 
É certo que ao domingo não há despertador, mas também é sabido de que durante a semana a hora de acordar é sempre a mesma. Logo a hora de acordar ao domingo não é muito diferente, pois o hábito já se instalou.
Acordei cedo e o tão desejado sol já espreitava pela janela, sem qualquer hesitação levantei-me. Tomei o meu pequeno-almoço ( hoje com direito a  torradas de pão sem glúten feito por mim, depois partilho a receita), metemos-nos no carro com uma das princesas aqui de casa e lá fomos nós!
Nada como começar o dia com uma bela caminhada de 5,5 km no meio do mato com direito a uma paisagem fantástica, cheiros intensos, ar puro, tempo para uma meditação e um pouco de Yoga. Uma verdadeira conspiração para me encher o coração de alegria e gratidão!
Prazeres e grandes!





  


Claro que depois de uma caminhada assim fiquei cheia de energia e boa disposição, e o dia rendeu-me imenso. Fiz uma série de coisas que tinha em mente. 
Cada vez tenho mais a certeza de que quanto mais cedo me levanto mais coisas faço, mais oportunidades tenho para ser feliz. 
Ser saudável por opção, porque me dá prazer, porque gosto e porque sim. A verdade é que a vida nos dá a opção de escolha, muitas vezes erramos, e isso também faz parte. Mas outras vezes tomamos as opções certas, trilhamos o caminho aonde queremos caminhar. E o coração enche-se de gratidão!

With love, 

Catarina.

(As fotografias não estão nada de especial, mas ainda assim apeteceu-me partilhá-las.)

quarta-feira, 4 de março de 2015

Leituras de Fevereiro


Uma das coisas que desejei para este ano de 2015 foi gerir o meu tempo da melhor maneira, para depois não me queixar por não fazer as coisas que pretendia. Entre a minha agenda (que me acompanha sempre), o meu despertador que passou a tocar mais cedo, e toda a minha força e determinação posso dizer que estou a conseguir.
Tempo para me dedicar às coisas que me dão prazer não me pode faltar. A nossa alma também tem de ser alimentada certo?!!?
Claro que  as leituras fazem parte desse grupo de coisas que adoro fazer. 
E aqui estão os livros que li no mês que passou.



O único livro que tinha lido deste autor, foi o "Cem anos de solidão", livro esse que gostei bastante. Mas aqui há uns tempos li num blog uma crítica muito positiva sobre este e então resolvi lê-lo.  Confesso que não morri de amores por ele, e não é de todo um livro que voltava a ler. Mas gostei da mensagem que  me transmitiu. Seja qual for a nossa idade, estamos sempre a tempo para descobrir o amor, e ele pode acontecer mesmo  quando menos esperamos.



Este sim foi uma boa descoberta, não o considerei um livro fácil de ler, não é daqueles livros que começamos a ler e não conseguimos parar.  Normalmente não demoro tanto a ler um livro como demorei a ler este.
É um livro que se deve ler pausadamente e tentar absorver as mensagens que nos vão sendo transmitidas. Está cheio de questões que nos fazem pensar. Tenho a certeza que se o lesse noutra altura não ia fazer tanto sentido. Mas como acredito que nada acontece ao acaso, chegou na altura certa para mim.


With love, 

Catarina.